quinta-feira, 13 de agosto de 2015

13 de Agosto - Dia Mundial do Canhoto


Durante muitos anos os canhotos eram discriminados e castigados para corrigir o que era considerado um “erro”. Actualmente, os estudos indicam que os indivíduos que utilizam a mão esquerda são mais imaginativos, mais rápidos no pensamento e mais capazes de resolver questões difíceis do seu dia-a-dia.



Embora seja comemorado desde a década de 70, foi em 1992 que o clube britânico Left-Handers lançou o dia 13 de Agosto como o Dia Internacional dos Canhotos, como forma de chamar a atenção do mundo que está pensado para os que usam a mão direita – os destros. Essencialmente, o objectivo foi o de desmistificar o uso da mão esquerda para tarefas habitualmente realizadas com a direita. Segundo os estudos cerca de 90% da população é destra e se atentos às faixas etárias, verificamos que existem mais jovens canhotos do que idosos canhotos. A razão mais simples é que antigamente os canhotos eram discriminados pela sociedade e, portanto, castigados até “corrigir” o que era considerado um “erro”. Felizmente, o estigma foi-se dissipando.
Segundo o dicionário Priberam da Língua Portuguesa, ser canhoto significa, “que ou quem tem maior habilidade com o lado esquerdo do corpo, em especial com a mão, do que com o lado direito = esquerdino”1 Contudo, o mesmo dicionário tem também disponível a definição depreciativa: “pouco hábil. = canhestro, desajeitado”2, sinal que apesar da mudança de mentalidades, o termo ainda comporta alguma conotação negativa, mas nada que incomode os canhotos dos tempos actuais. Afinal, ser canhoto é tão simplesmente um indivíduo que utiliza predominantemente a não esquerda nas suas actividades quotidianas. Eventuais dificuldades encontradas são ultrapassadas com utensílios próprios e comercializados para o esquerdino, mas também os há que acabam por se adaptar ao facto de tudo estar pensado para os destros.
Para escrever, por exemplo, é frequente um canhoto entortar a mão e deitar-se em cima da mesa para conseguir ler enquanto escreve. Já quando se sentam à mesa, um dos primeiros gestos é trocar os talheres. A maior dificuldade surge com a faca de peixe e com as tesouras. Não é o caso de Bruno Guedes, canhoto há 32 anos: “fui-me habituando, ao longo do tempo, a fazer algumas actividades com a mão direita, não porque tivesse sido pressionado ou alguma vez tivesse sido descriminado, mas foi tudo uma questão de hábito”. Contudo, a maior dificuldade de Bruno Guedes sempre foi a utilização da tesoura: “o uso das tesouras e alicates de corte estão claramente concebidos para os destros e continua a não ser fácil usar esses utensílios”, lamenta.
Com uma caligrafia pouco legível, Bruno Guedes acha que é possível que tal se deva ao facto de ser canhoto. Apesar disso, nunca sentiu necessidade de procurar ou comprar utensílios próprios para canhotos.
Mas por que são as pessoas canhotas?
Um estudo conduzido por pesquisadores das universidades britânicas de Oxford, St. Andrews e Bristol descobriu que o facto de uma pessoa ser destra ou canhota está bastante ligado à sua genética e pode ser definido enquanto o indivíduo ainda é um embrião. Os avanços nesta área são significativos já que os investigadores identificaram o gene responsável por esta característica.
O cérebro divide-se em dois hemisférios - direito e esquerdo – e cada um controla os movimentos da parte oposta do corpo. Ou seja, os gestos que fazemos com a mão esquerda, o pé esquerdo e o olho esquerdo são controlados pelo hemisfério direito, enquanto os movimentos do lado direito do corpo são controlados pelo hemisfério esquerdo. Assim sendo, uma vez que a maioria das pessoas são destras, o hemisfério que predomina é o esquerdo. Nos indivíduos canhotos é o hemisfério direito que lidera.
Mas, afinal a pergunta impõe-se: porque são as pessoas canhotas?
Existem vários estudos que indicam que já antes de nascermos está definido se seremos destros ou canhotos, devido à existência de interacção entre o património genético e o ambiente intra-uterino.
A explicação genética diz que comparativamente a casais destros, casais em que um dos pais é canhoto ou os dois são canhotos têm maior probabilidade de terem um filho canhoto (2-3x e 3-4x, respectivamente).
Além da questão genética, os estudos revelam que o ambiente intra-uterino também tem um papel importante, por exemplo, os hábitos alimentares da mãe influenciam o desenvolvimento e a organização cerebral. Apesar destas evidências, Paula Moreira, Investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular, e Professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra afirmava num artigo publicado no portal Sapo Saúde que “existem várias perguntas sem resposta. Porque é que 90% da população é destra? Será que a evolução seleccionou os destros? Se assim é, porque é que não somos todos destros?”. São, portanto, necessários mais estudos para esclarecer estas e outras questões.
Evidência científica
São vários os estudos que indicam que os canhotos pensam mais rápido quando praticam determinadas actividades como: conduzir, jogos de computador ou praticam desporto. Uma pesquisa recente da Australian National University (ANU) não tem dúvidas que os canhotos têm uma ligeira vantagem de pensamento em relação aos destros. Esta conclusão é reiterada por outro estudo publicado pelo jornal Neuropsychology que explica que o facto de os destros utilizarem apenas um hemisfério (o direito) para processar a linguagem e muitos canhotos usarem os dois hemisférios a vantagem é visível em actividades que exigem grandes estímulos. Isto é o uso de ambos os hemisférios, torna o indivíduo mais imaginativo, mais capaz de resolver questões difíceis do seu dia-a-dia e há mesmo investigadores que afirmam que os canhotos têm uma visão diferente do mundo ou que são mais susceptíveis a uma série de problemas de saúde.
Canhotos famosos
Uma das razões para que se tenha desmistificado o facto de ser canhoto, foi o de se ter passado a associar esta característica a nomes sonantes que são ou foram canhotos. Exemplo disso foi Albert Einstein, Charlie Chaplin, Leonardo da Vinci ou Beethoven, génios mencionados, actualmente, com orgulho, como tendo sido canhotos. Ou seja, passou-se a relacionar a genialidade com o facto de ser canhoto. Logo esta característica passou a ser considerada uma virtude e não um defeito.
Defeito para uns, virtude para muitos mais, certo é que a 13 de Agosto se assinala o Dia Internacional do Canhoto.
Fonte: 
Priberam
Diário de Notícias Online
Sapo Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário