quarta-feira, 24 de setembro de 2014

A vitalidade dos alimentos

Conceição Trucom * Aqui, o objetivo é que você compreenda, didaticamente, como classificar os alimentos pela sua força vital, simplificando os critérios de escolha e seleção. Nada de tabelas: só a compreensão. No livro "Você sabe se desintoxicar" (Dr. Soleil - Ed. Paulus), os alimentos estão classificados em quatro categorias, de acordo com o seu grau de VITALIDADE ou força alquímica. Este conceito foi criado pelo Dr. Edmond Bordeaux-Szekely e pode ser de grande ajuda para nos orientar nas escolhas alimentares, sem precisar fazer uso de tabelas ou memorizações. Alimentos BIOGÊNICOS: geram e expandem a vida Potencial nutricional: qualitativo, elevado e rápido. Potencial energético: infinito, pois ainda não é possível ser mensurado. São as sementes germinadas e os brotos produzidos a partir dos cereais (grãos), das frutas oleaginosas (linhaça, girassol, gergelim etc.), das leguminosas (feijões), das ervas e das hortaliças. Idealmente, focando o aspecto da elevada qualidade energética e nutricional, deveriam ser a base da alimentação saudável. Ou seja, todos os dias consumir, ainda que em pequena quantidade, variedades de germinados e/ou brotos. Sê-Mentes são alimentos do reino vegetal cuja composição nutricional guarda enorme semelhança com a celular do cérebro humano, parte física das nossas Mentes (Lógica e Espontânea), além de muitos sais minerais. • Sê-Mentes: 30 a 40% proteínas + 30 a 60% gorduras nutricionais • Células cerebrais e nervosas: lipoproteínas (lipo significa gordura) Biológica e energeticamente, o desejo de toda Sê-Mente é um dia germinar e virar uma planta, continuação da sua espécie, do seu propósito alquímico na Terra. Até que elas encontrem as condições ideais para que tal aconteça (umidade, calor e pouca luz), ela se preserva, com suas cascas (fibras duras e ásperas) e substâncias anti-nutricionais (ácido fítico, inibidores de tripsina etc.) para que fungos, carunchos e humanos a não a consumam. Guardam ainda, no seu pequeníssimo espaço (um verdadeiro chip) riqueza de antioxidantes, vitaminas, sais minerais, enzimas (aminoácidos), hormônios vegetais, estimulantes biológicos etc., todos fundamentais e prontos para explodirem funcionalmente no momento da germinação. Energeticamente representam um pequeno Ser com todo o seu Viço e material genético para expandir, crescer e frutificar: gerar vida! Ao ingerirmos o alimento germinado, broto – cru e vivo – é exatamente este conjunto de informação e comando que ocorre em nossas células: explosão de vitalidade e regeneração. Vida viva! Alimentos BIOATIVOS: ativam a vida Potencial nutricional: quantitativo, elevado e rápido. Potencial energético: infinito, pois ainda não é possível ser mensurado. São as frutas, legumes, ervas e hortaliças, leguminosas, sementes oleaginosas e cereais integrais maduros (crus, mas não germinados). Ricos em macronutrientes e substâncias biologicamente ativas como as enzimas, vitaminas, antioxidantes e sais minerais, oferecem aos que os consomem a informação: manter a vida ativa, mineralizada, vitalizada, viva! Do ponto de vista quantitativo, devem ser considerados como a base da alimentação humana. Por este motivo, é importante que façam parte do consumo diário, em quantidades significativas e adequadas a cada idade, sexo e tipo de atividade. Pesquisas apontam que o ideal seria o consumo de mínimo 50% destes alimentos enquanto frescos e crus. Não valem alimentos por demais maduros pois neste caso o comando enzimático é acidificar para degradar, desintegrar e adubar a terra. Crus e frescos, vivos têm a capacidade de transferir as boas energias da Terra, do Sol e de Deus para o corpo e a alma. Para estarem vitalmente ativos devem ser consumidos frescos, no ponto certo da maturidade, sem agrotóxicos e crus. No caso das leguminosas (feijões), após 48 horas de molho, ou seja, em processo de germinação. Os alimentos bioativos apresentam extraordinárias propriedades depurativas. Sua riqueza em fibras e água estruturada; assegura uma verdadeira faxina no tubo digestivo, levando embora, junto com as fezes e demais excretos, uma grande quantidade de toxinas, resíduos, mucos e venenos. Sua riqueza em sais minerais oferece a possibilidade, desde que consumidos diariamente, crus e vivos, de manter o organismo alcalinizado e mineralizado, portanto com seu metabolismo eletroquímico realizando comunicação precisa e eficiente entre todas as células, órgãos e sistemas, entre eles o cardiológico e cerebral. Juntamente com os germinados, os bioativos são os alimentos mais ricos em substâncias biologicamente ativas, hoje famosos com a classificação de nutracêuticos: alimentos que nutrem e curam. Ingeridos crus e frescos, idealmente de cultura orgânica, fornecem ao organismo o alimento mais adequado à saúde humana. Os alimentos que geram a vida (os biogênicos) e os alimentos que ativam a vida (os bioativos) são considerados alimentos vivos; sagrados. Ofertam seu Viço – nutricional e energético - para assegurar a vida e o bem-estar do ser humano. Seu consumo diário – mínimo 50% - resulta inevitavelmente, em desintoxicação (purificação), vitalidade e saúde plena, em qualquer idade ou momento evolutivo. Por que frescos e crus? Porque as enzimas e algumas vitaminas, que são termo degradáveis, estarão vivas e ativas. Uma vez cozidos, grande parte das suas funções biológicas morrem ou perdem poder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário