quarta-feira, 28 de agosto de 2013

ESTO É UM AVISO!

ESTO É UM AVISO! Para quem sente a necessidade de compartilhar esta informação. Não estou a dizer que isto vai acontecer, mas melhor tentar evitá-lo.
"Compartilhe isto a toda a gente sabe, você pode salvar a vida" Um casal perdeu seu filho de 25 ano de idade em um incêndio em casa no dia 4 de junho. O filho que havia se formado com um MBA da Universidade de Wisconsin-Madison e duas semanas depois tinha chegado em casa para passar um tempo. Naquele dia tinha almoçado com o pai em casa depois foi limpar seu quarto. Quando decidiu fazer uma soneca enquanto espera por sua mãe que vinha do trabalho. Algum tempo depois os vizinhos ligaram para o 112, quando viram sair fumo preto dentro da sua casa. Infelizmente, os 25 anos de idade morreu na casa. Levou vários dias de investigação para descobrir a causa do incêndio. Foi determinado que o fogo foi causado pelo laptop descansando na cama. Levou o portátil para a cama o ventilador de refrigeração não conseguiu o ar para refrigerar o computador e foi isso que causou o fogo. Ele não nem acordou, porque morreu ao inalar monóxido de carbono. A razão pela qual estou a escrever isto a todos nós, é porque muitos de nós usamos o laptop enquanto estamos na cama. E acabamos por muitas vezes adormecer, Vamos decidir e torná-lo uma prática para não cometermos esse erro. O risco é real. Nos deixe fazer isto uma regra para não usar o laptop na cama com cobertores e travesseiros em volta. Por favor, eduque a tantas pessoas quanto você pode. "Por favor, passe a todos que você sabe, você pode salvar a vida"

domingo, 25 de agosto de 2013

Os benefícios do mel

Os benefícios do mel
Os benefícios do mel são conhecidos desde os tempos mais remotos. Usado tanto na alimentação (é o melhor e mais antigo adoçante utilizado pelo homem) como na cura de doenças, chegou a ser utilizado pelos egípcios como bactericida (e para embalsamar suas múmias) e considerado pelos gregos como um produto sagrado e milagroso. Uma colher (chá) de açúcar (aproximadamente 8 g) fornece cerca de 40 calorias, enquanto a mesma medida de mel contém 25 calorias. Com poder adoçante duas vezes superior ao do açúcar, a substância produzida pelas abelhinhas também é uma ótima opção para acompanhar cereais e até bebidas, de sucos a cafés, além de dar um toque a mais em pratos salgados. Mas atenção: os diabéticos devem evitá-lo, pois o mel possui carboidratos simples, como a frutose e a sacarose, que elevam muito rapidamente a glicemia. Crianças antes dos três anos de idade também sofrem restrições, pois pode provocar intoxicações. Concluído, as contraindicações acabam aí. As funções terapêuticas do mel variam de acordo com o vegetal de onde a abelha extrai o néctar. Confira os tipos mais fáceis de encontrar nas prateleiras dos supermercados ou lojas especializadas e os benefícios de cada um deles: CIPÓ-UVA Atua como expectorante; desintoxicante e, laxante. Ainda possui uma propriedade que ajuda na limpeza do fígado. COM PRÓPOLIS E AGRIÃO É descongestionante, anti-inflamatório e diurético. Também ajuda a limpar o sangue e, melhorar a circulação. EUCALIPTO Como é expectorante e tem ação bactericida nas vias aéreas, funciona para o tratamento de casos de tosse e bronquite. COM PRÓPOLIS Une a propriedade bactericida do mel com o efeito antibiótico da própolis. Indicado para quem tem problemas nas vias respiratórias. COM PRÓPOLIS E EUCALIPTO Combate a gripe e, ajuda a cuidar dos brônquios. Ainda conta com propriedades anti-inflamatórias. DE LARANJEIRA Considerada uma das versões mais saborosas, é calmante, regula o intestino e ainda previne cãibras e distensões musculares. COM GUACO E PRÓPOLIS Graças ao guaco, que facilita a eliminação da secreção com a tosse, é broncodilatador, antiasmático e expectorante. COM PRÓPOLIS E POEJO Ideal para combater problemas respiratórios, também auxilia na revitalização do organismo. SILVESTRE A versão mais clara deve ser tomada por crianças e idosos. Já a mais escura é ótimo laxante, tônico energético e estimulante da imunidade. COM PRÓPOLIS E LIMÃO-CRAVO Indicado principalmente em casos de gripes e resfriados, justamente por ser rico em vitamina C. COM PRÓPOLIS E LÓTUS Dilatador dos brônquios e expectorante é indicado para portadores de asma, bronquite e amigdalite. Atenção para não confundir e adquirir xaropes açucarados no lugar do verdadeiro mel. Maria Candida Junqueira Zacharias
Benefícios das frutas desidratadas.
A fruta desidratada, também denominada fruta seca, é o produto obtido pela perda parcial da água da fruta madura, inteira ou em pedaços, por processos tecnológicos adequados que possibilitem a manutenção de no máximo 25% de umidade. Por essa razão, as frutas secas, ao contrário das frutas frescas, representam uma fonte mais concentrada de nutrientes, fibras e compostos bioativos, por isso possuem um prazo de validade maior. Em consequência disso, as frutas desidratadas são consideradas ótimas fontes de vitaminas e minerais, como também de calorias, devendo o seu consumo ser moderado, como parte de uma alimentação equilibrada. Pesquisadores constataram que a capacidade antioxidante das frutas secas é maior do que a das frutas frescas. Dentre as frutas secas analisadas, a ameixa seca exibiu maior capacidade antioxidante, seguido do damasco. Isso se deve ao maior teor de compostos fenólicos na ameixa seca, apresentando altos teores de flavonoides e cumarinas. A uva passa também é fonte de diversos compostos fenólicos. Além do resveratrol, que está presente na casca, às antocianinas e os glicosídeos flavônicos estão entre os compostos mais estudados nesta fruta por apresentarem atividade antioxidante, propriedades anti-inflamatórias e anticancerígenas. As frutas secas em geral são excelentes fontes de fibras e ferro, vitaminas A e C, além de potássio e cálcio. Consumir diariamente 3 a 5 unidades entre as refeições, não causará prejuízo a dieta apesar do alto valor calórico. As melhores para a dieta: todas as frutas secas são quase iguais em termos de calorias por grama, e com consumidas moderação, elas são saudáveis para qualquer dieta. Sua mistura de ácidos graxos ômega-3 ácidos graxos, proteínas e fibras vão ajudá-lo a se sentir satisfeito. As que possuem menor taxa de gordura são as amêndoas, pistaches e castanhas. As piores para a dieta: quer manter as calorias em dia? Fica que longe das macadâmias e pecans. Cada 10 g de macadâmia, por exemplo, tem 2 g de proteína, 21 g de gordura. No entanto, elas e as pecans ainda são boas frutas secas: A diferença entre elas e as de baixa caloria é pequena. A dica é economizar nas porções. As melhores para o coração: embora todas as nozes contêm gorduras saudáveis para o coração e omega-3, elas também possuem grandes quantidades de ácido alfa-linoleico (ALA). Estudos tem sugerido que o ALA pode ajudar a arritmias cardíacas, e uma pesquisa de 2006 sugeriu que as nozes espanholas foram tão eficazes como o azeite na redução da inflamação e oxidação das artérias após uma refeição gordurosa. As melhores para o cérebro: os amendoins são tecnicamente leguminosas, mas geralmente entram no grupo das nozes. Eles são ricos em Folato, um mineral essencial para o desenvolvimento do cérebro que pode proteger contra o declínio cognitivo. Como a maioria das outras nozes, os amendoins também são cheios de gorduras saudáveis e vitamina. As melhores para os homens: as castanhas-do-pará são ricas em selênio, um mineral que pode proteger contra câncer de próstata e outras doenças. Porém, ingira com moderação: uma pesquisa recente deu a entender que o selênio em demasia pode estar ligada ao risco de diabetes tipo 2. Pecans também são boas para a saúde dos homens: elas estão carregadas com beta-sitosterol, que pode ajudar a aliviar os sintomas da hiperplasia prostática benigna (BPH), ou aumento da próstata. As melhores para a prevenção de doenças: relativamente com baixa em calorias, as amêndoas têm mais cálcio do que qualquer outra fruta seca, o que faz dela um alimento ótimo para a saúde. Além disso, elas são ricas em fibras e vitamina E, um antioxidante que ajuda a combater a inflamação e, possivelmente, o câncer de pulmão e o declínio cognitivo.
Cálculo Renal
Apesar de ser necessário o estudo metabólico do paciente com cálculo renal de repetição para estabelecer o tratamento específico, algumas medidas terapêuticas nutricionais podem ser instituídas, e muitas vezes são imprescindíveis. A primeira delas é a ingestão de líquidos de modo que o paciente urine no mínimo dois litros por dia. Qualquer intervenção terapêutica, por melhor que seja não surtirá o efeito desejado se não houver uma adequada ingestão de líquidos para que a urina seja bem diluída. A segunda medida está ligada ao cálcio na dieta, como leite e derivados. O aumento da ingestão de cálcio por meio de suplementos ou medicamentos eleva a chance de pedra nos rins. Contudo, por mais paradoxal que possa parecer, a dieta pobre em cálcio aumenta a incidência de cálculos renais e deve ser evitada. O correto é a dieta normocalcêmica. Tanto o sal quanto as proteínas de origem animal também aumentam a probabilidade de cálculo renal. Uma dieta com pouco sal e com quantidades moderadas de proteína animal é a mais recomendada. O cálculo é formado nos rins por excesso de cálcio, oxalato, ácido úrico ou cistina na urina (substâncias importantes no metabolismo renal). Este excesso pode acontecer porque a pessoa excreta níveis elevados destas substâncias na urina ou porque ingere pouco líquido e apresenta, portanto, uma urina muito concentrada, favorecendo o aparecimento dos cálculos. Outro fator que predispõe o aparecimento de pedra nos rins é o nível baixo de citrato na urina, substância que tem a capacidade de dificultar a formação de cálculos renais. O diagnóstico de cálculo renal é feito clinicamente, quando sintomático, ou por meio de exames laboratoriais. As manifestações clínicas mais frequentes são dor nas costas unilateral e de forte intensidade, que não tem relação com a postura do paciente e que irradia para o flanco (parte lateral do abdome à esquerda e direita do umbigo), mas há casos que se manifestam com dor abdominal, ao urinar ou a presença de sangue na urina, entre outros sintomas. É muito importante saber que o cálculo renal não é uma doença e sim um sintoma, manifestação de doenças como hipercalciúria idiopática, hiperparatireoidismo, cistinúria e hiperuricemia, entre outras. Fica claro, portanto, que o tratamento de um paciente com cálculo renal deve ser individualizado, dependendo da doença que levou ao aparecimento das pedras nos rins. O tratamento ou a dieta indicada para uma pessoa com cálculo renal pode não ser adequado para outra! Nos casos em que há um número grande de cálculos, ou naqueles em que o paciente apresenta crises recorrentes, deverá ser feito o estudo metabólico para identificar qual o distúrbio que está levando à formação das pedras, para, então, estabelecer algum tipo de tratamento preventivo com objetivo de evitar o aparecimento de novos cálculos. Quando se faz somente a retirada dos cálculos, mas não é tomada nenhuma medida preventiva, a chance de novos cálculos aparecerem é maior.