Inscreva-se

domingo, 19 de maio de 2013

O que fazer em casos de cólica?





Todos já tivemos algum tipo de cólica. Cólica renal, menstrual, intestinal ou de vesícula são bem conhecidas. E todas doem muito. A cólica renal, por exemplo, é comparada à dor de parto, tal sua intensidade. Mas afinal, o que é a cólica?

Entenda: alguns dos nossos órgãos são "ocos", ou seja, possuem uma cavidade interna. Por exemplo: o útero, o intestino, a vesícula biliar e as vias urinárias. Quando este órgão quer "expulsar" um conteúdo indesejável, ele contrái. Esta contração é a cólica.

Isto acontece tanto para eliminar alguma coisa estragada que comemos quanto para um cálculo. A sequência é a mesma: contração de expulsão, cólica e dor. No intestino acontece assim: cólica ou “dor de barriga” e diarreia.

A dor é consequência da contração. As terminações nervosas nestes órgãos nos avisam que algo não está bem. Por isso, a dor, é um sinal importante de que precisamos parar a rotina. Focar no que está precisando de repouso para que o corpo possa reagir e nos defender do que nos está fazendo mal.

Há tratamento para cólica?

Bolsa de água quente na área dolorida pode amenizar porque o calor relaxa as fibras contraídas. Mas a cólica só passa realmente quando o organismo consegue se livrar do que precisa expulsar. A menstruação acaba, os organismos que provocaram a diarreia foram combatidos, os cálculos foram expulsos ou retirados cirurgicamente. Enquanto isso não acontece, para suportar a dor, que pode ser muito intensa, estão indicados analgésicos. Mas só o médico é que pode prescrever, pois a intensidade ou a região da dor é que determinam o melhor analgésico para cada um. E só o médico é que pode saber qual é.

Dor é sempre um sinal de alerta! Respeite estes sinais que o organismo nos dá. Fique atento e cuide-se sempre. Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário