Inscreva-se

sábado, 20 de abril de 2013

O que são essas manchas escuras no rosto, tão comuns em mulheres grávidas ou que fazem terapia de reposição hormonal?


 O nome dado a esse problema é melasma. É um problema estético muito comum, mais freqüente em mulheres, mas que também pode ocorrer em homens. As manchas são escuras e acastanhadas na face, principalmente nas regiões malares (maçãs do rosto), na testa, nariz, lábio superior e têmporas, e geralmente têm limites precisos.
Qual a causa desse problema?
O seu surgimento pode estar relacionado à gravidez, ao uso de anticoncepcionais orais (pílula) ou injetáveis e tem sempre como fator desencadeante a exposição solar. Quando essas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. Além de fatores hormonais e da exposição solar, a predisposição constitucional e características raciais também influenciam o surgimento do melasma, que é mais comum em pessoas morenas.
Como diferenciar de uma mancha comum de pele?
Existem manchas que são chamadas de melanoses solares, muito comuns no rosto. Estas costumam ser menores e melhor delimitadas que o melasma, que se apresenta mais difuso. As melanoses podem surgir em qualquer área do rosto, já o melasma é bastante característico nas regiões malares.
Existe apenas um tipo ou os tipos de melasma podem variar conforme a causa ou a pessoa?
Existem 2 tipos de melasma: epidérmico ou superficial e dérmico ou profundo. O superficial corresponde a 70% dos casos e é mais fácil de ser tratado. Já o dérmico é bastante resistente ao tratamento. Para se diferenciar um do outro, o dermatologista pode utilizar um aparelho conhecido como lâmpada de Wood.
Como fazer a prevenção?
Para evitar o melasma, a principal conduta é evitar a exposição solar, sendo fundamental o uso de filtros solares potentes que contenham filtros físicos, como o dióxido de titânio. As mulheres não devem se expor ao sol sem proteção solar durante a gravidez ou uso de anticoncepcionais hormonais. As pessoas com predisposição ao melasma devem utilizar filtro solar diariamente, mesmo se o dia estiver nublado.
E o tratamento, como é feito?
O cloasma gravídico pode desaparecer espontaneamente após a gravidez, não exigindo tratamento. No entanto, na maioria das vezes é necessária terapêutica específica. Esta é feita com o uso de substâncias despigmentantes, aplicadas na pele. A associação dos despigmentantes com alguns tipos de ácidos geralmente aumenta sua eficácia. Quando o pigmento se localiza mais profundamente, a melhora é mais difícil, exigindo persistência para se obter um bom resultado. Peelings (esfoliamentos) superficiais podem acelerar o processo facilitando a penetração dos despigmentantes e ajudando a remover o pigmento das camadas superiores da pele.
A conduta deve ser orientada de acordo com cada caso, pelo médico dermatologista. Após a melhora, a proteção solar deve ser mantida para evitar o retorno das manchas, que ocorre com bastante freqüência.






Maria Falcão é médica e mestre em jornalismo científico pela Universidade de Londres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário